Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Prefácio de Dom Tomás Balduíno ao meu livro "Diálogos com o Amor"

Para unir oração e compromisso de vida

Prefácio de Dom Tomás Balduíno

Para nos fortalecer no compromisso de transformar esse mundo e iluminar a vida com uma oração consistente e profunda, podemos sempre contar com o livro bíblico dos Salmos. No entanto, para muita gente de hoje, a linguagem na qual os salmos vêm vestidos pode ser um obstáculo que não ajuda a pessoa a alimentar-se da riqueza dessa profunda escola de oração. Para sanar essa lacuna e resolver o problema, é necessário coragem para romper costumes estabelecidos. É preciso mesmo um certo despojamento para renunciar a expressões que são belas e nos acompanham desde muito tempo, mas não conseguem mais expressar a realidade atual na qual devemos viver a aliança de intimidade com Deus e em Deus.

Esse esforço de encontrar uma linguagem nova e despojada de tantos pressupostos culturais é uma verdadeira ascese espiritual e teológica. Só pode ser feita por alguém que ama profundamente os salmos, convive com eles desde muitos anos e, ao mesmo tempo, se sente profundamente solidário às pessoas que buscam o mistério e não se sentem à vontade com os costumes religiosos de sempre.

É esse o percurso seguido por nosso irmão Marcelo Barros, monge, teólogo e amante da Bíblia. Desde que em 1977, como bispo de Goiás, convidei a comunidade beneditina do Mosteiro da Anunciação em Curitiba para se transferir para a diocese de Goiás, Marcelo, ainda jovem, veio com outros dois monges, viver e trabalhar conosco. Nesse tempo, ele já  aprofundava os salmos. Já os propunha para as celebrações da caminhada. Junto com outros liturgistas, poetas e artistas, como Reginaldo Veloso e a irmã Agostinha Vieira de Mello, já preparava o que, uma década depois, no Brasil, se denominou “Ofício Divino das Comunidades”, um modo excelente de abrir a todo o povo de Deus o tesouro da Liturgia das Horas, mas de forma verdadeiramente inserida na cultura brasileira e na realidade das comunidades. Do mesmo modo, junto com irmãs e irmãs de todo o Brasil, Marcelo ajudou a firmar a Rede Celebra, um grupo de permanente formação de liturgia nas comunidades que tanto bem tem feito em todas as regiões do Brasil.  

 Agora, com esse novo livro, tão bem intitulado “Diálogos com o Amor”, Marcelo dá um passo a mais em sua relação com os salmos. Contando como sempre com a parceria preciosa de Reginaldo Veloso e de Agostinha Vieira de Mello, ele nos oferece uma nova versão dos salmos, o mais possível libertada da linguagem patriarcal e de uma espiritualidade exclusivista. Esse livro oferece 65 salmos da Bíblia, traduzidos em um estilo mais acessível às gerações atuais e mais aberto ao hoje do mundo. Sem dúvida, é sempre possível contestar algumas escolhas feitas. No modo de traduzi-los, haverá quem lamente algumas perdas da linguagem da tradição que nos era tão querida. Para dizer a verdade, eu mesmo também sinto isso. Entretanto, para compartilhar o pão com outros irmãos e irmãs, não podemos mantê-lo inteiro e intocado. Temos de parti-lo. Assim como o alimento de nossas mesas precisa ser partido para ser partilhado, também com o pão da Palavra e com o tesouro dos salmos se dá o mesmo. Temos de abrir mão da nossa familiaridade cultural com eles para reparti-los com um grupo maior de irmãos e irmãs.

Para os autores desse livro, toda observação crítica será benvinda e, sem dúvida, a essa primeira edição, outras se seguirão. Dessa vez, recebemos o presente de 65 salmos, os mais comumente usados e apreciados pelas nossas comunidades. Em edições futuras, certamente outros salmos serão acrescentados. Mas, esses já nos dão um sabor novo da palavra de Deus em linguagem atual e ecumênica que devemos aproveitar.

Em um de seus mais belos escritos, o sermão pronunciado em sua ordenação presbiteral, Gregório de Nissa, pastor da Igreja oriental, no século IV, propunha: “Imagine-se uma pessoa que caminha no deserto, sob o sol escaldante do meio-dia. Você está sedento/a e não tem água. De repente, à margem do caminho, eis uma fonte de águas límpidas e transparentes ali ao seu alcance. Sem dúvida, não lhe passará pela cabeça ficar raciocinando sobre a natureza da água, nem perder tempo com estudos sobre como aquela água chegou até ali. Você vai simplesmente aproximar-se da fonte, jogar o seu corpo por terra e beber daquela água até saciar-se”.

Do mesmo modo, você que está com sede, faça isso com esse livro e Deus o/a abençoe e o/a acompanhe nesse caminho.

Seu irmão mais velho,  +  Tomás Balduíno

corrigido e confirmado de um leito de hospital em Goiânia, na quinta feira santa de 2014, menos de um mês antes da sua partida definitiva.

 

 

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com