Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Cinema, sexta feira, 03 de maio 2013

Vale a pena ver ou rever: 

Intocáveis

Nesse momento em que, várias capitais do Brasil começam a ver um festival de novos filmes franceses (Festival Varilux de filmes franceses), vale a pena ver ou rever o filme francês que recentemente mais fez sucesso entre nós. No ano passado, o mundo inteiro se emocionou e riu com as aventuras do milionário paraplégico e seu secretário negro no filme  “Intocáveis”.

Nos anos 80, tivemos um famoso filme norte-americano de Briam de Palma com esse nome: Os intocáveis. Era um típico filme de gangsters sobre a Chicago dos anos 30. Agora, esse filme francês, sem o artigo, se chama Intocáveis e o próprio título não tem razões muito claras. Talvez faça parte da brincadeira do filme deixar esse enigma.

Trata-se de um filme de Eric Toledano  com François Cluset e Omar Sy que encantou multidões na Europa e pelo mundo afora. Sem dúvida, por trás da história simples e humana do filme, está a dificuldade da França compreender os migrantes, vencer a discriminação para com os negros e mesmo a tendência das pessoas olharem os paraplégicos como meros objetos de compaixão. Quando esses esquemas são superados e a humanidade das relações restabelecidas, mesmo algo que seria penoso e comovente se torna assunto de riso e de graça.

O estilo do filme é sóbrio e sem nenhuma ousadia de estilo ou de linguagem. Não precisa. Conta simplesmente a história, mostra a evolução das relações e sem fazer de nenhum personagem herói ou protagonista isolado. A trilha sonora entra bem no contexto e tudo colabora para o êxito final.

Comumente aqui no Brasil o circuito comercial passa poucos filmes franceses. O público menos habituado chega a expressar que acha alguns que passam em nossos cinemas filmes lentos e monótonos. Para essas pessoas, é ainda mais recomendável ver Intocáveis e curar esse preconceito. Ao mesmo tempo que o filme não embarca na mediocridade americana comum, mantém um ritmo leve e uma forma cinematográfica aberta ao grande público. Ganhou vários prêmios e menções honrosas em festivais internacionais e agora o DVD, apenas foi editado, está fazendo muito sucesso. Procure-o na Cara Vídeo e prestigie o acervo riquíssimo de

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com