Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Conversa, quarta feira, 17 de fevereiro 2016

O papa Francisco divulgou um vídeo pedindo aos fieis do mundo todo que orem pelo diálogo das religiões e pela unidade entre elas, porque, dizia ele: Todos - de todas as religiões e culturas - somos todos irmãos. Todos são filhos de Deus.

Um amigo me mandou o vídeo de um padre espanhol que tem um programa de televisão muito reproduzido em países latino-americanos de língua hispânica. Esse padre dedicou um programa para dizer que o papa está errado. Ele se enganou. Confundiu-se. Certamente não quis dizer aquilo. As pessoas podem compreender mal o que ele falou. De modo algum, ele poderia ter dito que todas as pessoas humanas são filhas de Deus. Ele sabe que não é assim. Conforme a doutrina da Igreja, só os cristãos batizados são filhos de Deus. Todos os homens são criaturas de Deus. Pode-se dizer que são amados por Deus. Mas, não são filhos. Filhos só pelo batismo... 

E aí cita várias passagens da Bíblia compreendidas de modo fundamentalista e várias passagens do Catecismo Católico.

Como dialogar com quem se acha dono da verdade e quem não pensa como ele está sempre enganado ou mesmo errado? Como dizer que Deus é maior do que os nossos sacramentos e o papa compreendeu a palavra de Jesus no evangelho que chama de bem-aventurado (abençoado) de Deus todas as pessoas humanas que trabalham pela paz. Jesus disse: "porque serão chamadas filhos e filhas de Deus" (Mt 5). Segundo esse irmão, certamente Jesus se enganou ou não quis dizer exatamente isso que disse.

Peçamos a Deus a graça de renunciarmos a nossas certezas dogmáticas e a nos abrir ao que o Espírito diz hoje às Igrejas e à humanidade. 

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com