Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Na casa do Pai, muitas moradas

                     "Não se perturbe o coração de vocês. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa do meu Pai há muitas moradas. Eu vou e preparo para vocês um lugar...". Jesus que, antes tinha se mostrado ele mesmo perturbado e triste com a perspectiva do que iria acontecer, agora nessa conversa com os discípulos e discípulas na ceia quer confortá-los e lhes dar força para enfrentar a perseguição. 

                        Ao ler ou ouvir essas palavras, é bom que nos lembremos que a comunidade do evangelho que lembrou essas palavras de Jesus e as transcreveu vivia um momento de conflito interno muito profundo e de começo de perseguição por parte do império romano. Certamente havia sido expulsa da sinagoga - e estava fora do Judaísmo. Além disso, grupos internos se defrontavam sobre a herança de Jesus. Havia grupos espiritualistas (gnósticos) e grupos judaizantes mais apegados à lei. Grupos mais proféticos, talvez ligados aos discípulos de João Batista e outros mais ligados à tradição.... O que não só o Jesus histórico, mas o Cristo ressuscitado diz a essa comunidade do final do século I e diz a nossas comunidades hoje?

                         É possível que, ao escutar essas palavras, muitos cristãos pensam que Jesus está dizendo: Vou morrer, vou ao céu, preparo lá um lugar para vocês e volto para buscá-los. Se fosse esse o sentido da frase, o evangelho seria um convite para morrer e se despreocupar com a vida daqui. O céu seria um condomínio cheio de muitos apartamentos disponíveis para cada um sublocar. Seria um céu bem capitalista. O que de fato o evangelho está dizendo é que pela sua paixão, Jesus vai ao Pai (Vou ao meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus) e ressuscitado se manifesta na comunidade e aí na comunidade dos seus discípulos - comunidade depois da ressurreição ele nos prepara um lugar... Mas, deixa claro que nessa comunidade, ensaio do reino de Deus, há muitas moradas. É uma comunidade pluralista.  Tem lugar e vez para todo mundo. E Jesus diz que ele é o itinerário desse pluralismo, é o percurso (caminho) dessa ida ao Pai. Ele é a verdade do reino de Deus e a Vida em plenitude. 

                    Cristãos fundamentalistas se apoiam nessa palavra (eu sou o caminho) para negar a validade e o direito de existir das outras religiões e caminhos espirituais. Outros, inclusivistas, dizem que sim, elas têm sua validade mas através de Jesus. De fato o que Jesus diz é que ele assume tudo o que é humano. Eu sou o caminho e em todo tipo de caminho eu estou, eu sou... 

                      Onde Jesus estabelece essa morada de Deus diversificada e pluralista? Em nós. Em cada um (uma) de nós, no mais profundo do nosso coração - justamente para poder fazer a nossa comunidade inserida no mundo - O Espírito que o Pai prometeu e que pela sua ressurreição, Jesus nos dá, ele coloca dentro de nós para morar no mais íntimo de nós - esse coração habitado pelo Espírito é o maior presente que recebemos do Pai através do Cristo ressuscitado e é nossa força para fazer desse mundo o templo divino no qual o amor divino se manifesta e continua o trabalho amoroso da criação permanente do universo em evolução.       

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com