Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

No meio do mundo, um fórum de amor à floresta

                    Dizem que, no mundo, Macapá é a única capital de estado por onde passa a linha do Equador. Em Quito e no Quênia, ela passa fora da cidade. Aqui é bem no meio da cidade e tem um estádio de futebol que fica literalmente "no meio do mundo". Um time joga a partir do hemisfério sul. E o outro, a partir do hemisfério norte e a linha do Equador é a linha do meio do campo. Hoje, é o dia do equinócio, isso é, o dia em que a noite e o dia são iguais - equi - E o sol em sua viagem chega exatamente na linha do Equador e o relógio do sol construído na linha que marca o Equador mostra o sol em seu zenit. Estou aqui por causa do casamento de um sobrinho que mora aqui e se casa hoje aqui. Um amigo, militante da REPAM (Rede Eclesial Panamazônica) descobriu que eu estava passando aqui e me fez, na terça feira à noite, participar de uma celebração com um grupo de pastoral afro; na quarta à noite, me colocar em uma roda de conversa com as pastorais sociais da diocese e ontem (quinta), participar pela manhã da sessão estadual do Fórum Social Panamazônico. Eram mais de cem pessoas. Índios/as de várias etnias do Amapá, pessoal de vários partidos de esquerda, das pastorais sociais e de ONGs. O clima era de reencontro e de festa. E não senti os discursos de desesperança e angústia que ás vezes nos invadem. Aquele pessoal, todos que me pareceram pobres e em meio a muitas lutas, davam um testemunho de animação e mesmo de alegria, todos/as em defesa da floresta.

Fiquei comovido ao ver e ouvir as mulheres índias de vários povos dançando. A música que as embalava e elas cantavam dizia nas palavras de um compositor local: " Sai pra lá, coisa nefasta. Tudo o que tu tocas, empestas, Pega o beco, vai te afasta. Deixa em paz nossa floresta.
Teu olhar sombrio devasta, teu decreto nos detesta. Mas a nossa luz é vasta. Vem de dentro da floresta.
Sai pra lá coisa medonha. Tudo o que tu tocas, empestas. Quando pensas na Amazônia, até Deus no céu protesta,
Tua fala é enfadonha, tuas medidas desonestas. Deixa em paz a Amazônia, vaza da nossa floresta.
Todos pela Amazônia, selva amada, mata rica. Fora Temer, fora Temer, nossa Amazônia fica.
S.O.S. Amazônia, selva amada, mata rica. Fora Temer, fora Temer, nossa Amazônia fica.

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com