Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Mensagem para o ano novo

                Queridos irmãos e irmãs,  

Nesta celebração de ano novo diferente dos outros anos e na qual não podemos nos encontrar e nos abraçar, a primeira profecia é a de insistir em nos desejar feliz ano novo, mesmo tendo previsões de um ano difícil e pesado. Penso em vocês, irmãos e irmãs, amigos e amigas, mais próximos e pelos quais me sinto mais responsável como irmão mais velho e como servidor que Deus colocou na vida de vocês para testemunhar que Deus os ama e quer cuidar carinhosamente de cada um/cada uma e juntos/as como irmãos e irmãs na comunidade de fé (fé em Deus ou fé na Vida e no Amor). 

Ninguém de nós tem mais aquela visão mágica de uma mudança do tempo apenas porque a estação mudou. A estação é cíclica e se repete a cada ano. O que consideramos novo é algo que vem como apelo renovador e isso só ocorre se acolhemos o apelo divino para nos renovar interiormente e renovar o mundo e a vida. Há uma centelha, uma chama divina no mais interior do nosso ser. Ela nos faz enxergar para além dos desânimos e fadigas do cotidiano. No entanto, ela só consegue fazer isso se conseguirmos nadar contra a corrente da sociedade atual, reafirmar que fundamentamos nossa vida em outras bases e não só viver isso como dar aos outros esse testemunho. 

Quando antropólogos/as ou voluntários querem se inserir em culturas indígenas, o primeiro desafio é aprender o idioma. E este se aprende ouvindo falar e repetindo palavras. No entanto, para conseguir se expressar realmente em um idioma, mesmo se tratando de uma língua oral, eles devem organizar uma gramática, não para os índios, mas para si mesmos afim de compreenderem a lógica da língua e suas regras fundamentais. 

Para este dia mundial da Paz de 2021, o papa Francisco propõe como tema “o cuidado como percurso de paz”. E em sua mensagem nos diz que para isso precisamos elaborar uma “gramática do cuidado”. Isso significa que não basta o cuidado aqui e ali, o cuidado ocasional ou dado quando percebemos que seja necessário. Somos chamados ao cuidado como um idioma do nosso coração e uma orientação fundamental dos nossos pés e de nossa cultura. E como isso não é espontâneo, nem se improvisa, temos de aprender e de cultivar. Convido vocês a fazermos isso juntos e encontrarmos  a forma de nos apoiarmos e nos estimularmos nessa arte gramatical. Feliz ano novo e como diz a bênção que, na liturgia, a Igreja coloca para o dia de hoje: O Senhor nos abençoe e nos guarde. O Senhor revele a nós o seu rosto e nos mostre sua ternura. O Senhor volte o seu rosto para nós e nos dê a Paz. Abraço cada um/uma carinhosamente e que Deus os/as abençoe. 

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com